quinta-feira, 3 de dezembro de 2009



CINCO MARIAS



O jogo das 5 marias é basicamente um jogo de coordenação motora e raciocínio rápido.Fácil de ser jogado, pode ser praticado em qualquer lugar.Este jogo é conhecido também como brincadeira dos saquinhos. Primeiro, faça cinco saquinhos de tecido de mais ou menos 4 cm x 3 cm, com enchimento de areia ou grãos de arroz ou feijão.
Depois, é só brincar! Veja a seqüência:
• Jogue todos os saquinhos no chão e pegue um sem tocar nos demais. Jogue-o para o alto enquanto você pega um dos outros quatro - sempre sem encostar nos restantes - e segure-o na volta, com a mesma mão, antes que ele caia no chão. Repita tudo para cada um dos quatro saquinhos.
• Novamente, jogue os cinco saquinhos e pegue um. Faça o mesmo que na etapa anterior, só que agora de dois em dois saquinhos.
• Repita tudo, mas desta vez você vai pegar um saquinho e depois três.
• Agora, você deve pegar os quatro saquinhos de uma só vez.
O túnel: jogue os cinco saquinhos e pegue um. Com a outra mão, você forma um túnel. Os quatro saquinhos restantes deverão ser passados por debaixo do túnel.



Observação - Se o jogador tocar num dos saquinhos que estão no chão que não seja o escolhido para a execução da jogada ou deixar algum deles cair da mão, passará a vez para o próximo jogador.





CURIOSIDADE SOBRE A ORIGEM DA BRINCADEIRA


A cinco-marias tem origem em um costume da Grécia antiga. Quando queriam consultar os deuses ou tirar a sorte, os homens jogavam ossinhos da pata de carneiro (astrágalos) e observavam como caíam.
Cada lado do ossinho tinha um nome e um valor, e a resposta divina às perguntas humanas era interpretada a partir da soma desses números. O lado mais liso era chamado kyon (valia 1 ponto), o menos liso, coos (6 pontos); o côncavo, yption (3 pontos), e o convexo, pranes (4 pontos).
Essa pode ser a origem dos dados (do latim, “dadus”, que quer dizer “dado pelos deuses”), segundo Renata Meirelles, autora do livro "Giramundo e outros brinquedos e brincadeiras dos meninos do Brasil".
Com o tempo, os ossinhos foram substituídos por pedrinhas, sementes e pedaços de telha até chegar aos saquinhos de tecido recheados com areia, grãos ou sementes, conta Meirelles. cinco marias ou pipokinha como pode ser chamado, é um
brinquedo também conhecido como brincadeira dos cinco saquinhos (ou cinco pedrinnhas, que devem ter tamanhos aproximados).


Cobra de Brinquedo







O brinquedo que escolhemos foi mesmo brinquedo utilizado no nosso estagio que é uma cobrinha inclusive a seqüência foi baseada nesse brinquedo. O brinquedo é feito de rolo de papel higiênico, barbante, duplex vermelha, papel duplex preto, papel oficio branco e tinta guache verde. Para montar ele precisa de cinco rolos de papel higiênico uma tesoura com ponta fina para fazer os furinhos do lado e colocar o barbante fazer círculos no papel duplex e no papel oficio e fazer o formato de língua no duplex vermelho após esses procedimentos como esta na foto ficara montada uma cobrinha.


Como observamos no estagio tem diversas maneiras de brincar com esse brinquedo, pode se colocar no chão e puxando o cordão, pode ficar usar com o cordão pra cima vai depender da imaginação da criança. Os eixos que se encaixam nesse brinquedo é a linguagem oral escrita como a musica tem a letra eles vão ter que ouvir a letra para repetir os movimentos, movimento a musica faz a criança se movimenta bastante pois é muito animada,artes que para construir o brinquedo precisa usar a criatividade  que geralmente acontece nas aulas de artes. Recomendamos esse brinquedo porque alem de ser fácil de construir ele fácil pra brincar também e não oferece nenhum risco pra criança e os benefícios para a criança são: A interação com as demais crianças, ajuda a melhorar coordenação motora fina, trabalhar com lateralidade,imaginação pode se criar uma historia através do brinquedo dentre outras.

Por Priscila Netq

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

ROBÔ RECICLADO




ROBÔ: este é um brinquedo construído de materiais reciclados.

Eixo contemplado: Artes Visuais.

As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentido a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por meio da organização de linhas, formas, pontos, tanto bidimensional como tridimensional, além de volume, espaço, cor e luz na pintura, no desenho, na escultura, na gravura, na arquitetura, nos brinquedos, bordados, entalhes etc. As Artes Visuais estão presentes no cotidiano da vida infantil.


Objetivos:

  • produzir trabalhos de arte, utilizando a linguagem da construção, da pintura, da modelagem, da colagem, da construção, desenvolvendo o gosto, o cuidado e o respeito pelo processo de produção e criação;

  • Exploração e aprofundamento das possibilidades oferecidas pelos diversos materiais, instrumentos e suportes necessários para o fazer artístico.


Materiais usados:
06 garrafas Pet (grande, média e pequena), canudos de cores variadas, EVA (pequenos pedaços), um par de olhos, bolas de gudes, fita decorativa, elástico e cola quente
.


Como fazer:

Faça dois furos nas laterais das garrafas, transpasse o elástico para unir as garrafas para que elas tenham mobilidade nos “membros”. Depois para enfeitar coloque canudos coloridos e bolas de gudes dentro das garrafas. O acabamento é muito simples com fita decorativa amarradas nas pontas das garrafas e finalize colocando os olhos plásticos, a boca e o nariz com sobras de EVA, utilizadas em outras atividades.

Como pode ser trabalhado na sala de aula:

Segundo o RCN- volume 3, a aprendizagem de Artes Visuais, se dá no âmbito prático e reflexivo, e no trabalho desse robô além das crianças criarem a sua arte eles também socializam para os demais colegas a sua produção, então acontece a dicotomia no aprendizado. Salientando que o modelo é apenas uma sugestão de trabalho para as crianças, que tem liberdade para sugerir e modificar a sua produção.

É aconselhável, portanto, que o trabalho seja organizado de forma a oferecer às crianças a possibilidade de contato, uso e exploração de materiais, como caixas, latinhas, diferentes papéis, papelões, copos plásticos, embalagens de produtos, pedaços de pano etc. É indicada a inclusão de materiais típicos das diferentes

regiões brasileiras, pois além de serem mais acessíveis, possibilitam a exploração de referenciais regionais.





Referência:
Referencial curricular nacional para a educação infantil /

Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação

Fundamental. — Brasília: MEC/SEF, 1998.

volume 3: Conhecimento de mundo.

TRABALHO DESENVOLVIDO POR CIDINÉLIA & EDNAILDES.

(ESTÁGIO REALIZADO NA ESCOLA MUNICIPAL NOVA DO BAIRRO DA PAZ - GRUPO 4)


Caixa de Jogos



Objetivo:

●Vivenciar e analisar vários tipos de jogos com levantamento de expectativas e integração de grupo, conceituando e caracterizando vivências, desenvolvendo habilidades motoras e raciocínio estratégico e lógico, no ato de manipular, e aprende a somar e dividir brincando.

Materiais utilizados para a construção da caixa:

●Caixa de papelão;
●Cola, tesoura, durex;
●Papel duplex e EVA.

Jogos disponíveis na caixa:

●Jogo da memória;
●Dominó;
●Loto;
●Pega-varetas;
●Damas;
● Jogo com formas geométricas.

Relação com o eixo: Brincar

Como trabalhar na sala de aula:

● Este eixo permite que as crianças brinquem livremente, e esta caixa de jogos fará com que as crianças possam usar o raciocínio estratégico e lógico, a calma, dentre outros;
●Podendo também dividir a sala em pequenos grupos para que aprendam a trabalhar em grupos;
●Diversificar as atividades, envolvendo gincanas e etc..

Por  Daniela e Giselle

Caixa Pinte e Borde











O projeto caixa de brinquedos foi idealizado com o intuito de ensinar as crianças da educação infantil os conteúdos dos blocos temáticos contidos no RCNEI, abordando todos os eixos, para que, as crianças pudessem aprender através dos jogos, brinquedos e brincadeiras de forma lúdica os conteúdos que são de vital importância para o desenvolvimento das crianças em todos os seus aspectos: Intelectual, Corporal e afetivo.


A nossa caixa de brinquedos tem o objetivo de incentivar as crianças a expressarem suas capacidades e desenvolver a criatividade, através das artes visuais, utilizando diversos recursos materiais como: tintas diversas, papéis variados, lápis de cor, giz de cera, massa de modelar, pincéis de formatos e tamanhos variados. Buscando trabalhar de forma interdisciplinar com todas as matérias que integram o ensina na educação infantil, visando ampliar os conhecimentos das crianças de forma divertida e feliz, pintando, modelando, criando, recriado, fazendo colagens e usando a imaginação e transformando os materiais.


Na busca por tornar as nossas crianças autônomas e capazes nos seus modos de pensar e agir, através de atividades contextualizadas, que permitam a elas uma reflexão sobre produções produzidas dentro do seu contexto sócio-cultural e as suas próprias produções. Segundo o RCNEI as artes visuais expressam, comunicam e atribuem sentidos a sensações, sentimentos, pensamentos e realidades por meio da organização de linhas, formas, pontos, tanto bidimensional quanto tridimensional, além de volume, espaço, cor, luz na pintura, no desenho, na escultura, na gravura, na arquitetura, nos brinquedos, bordados, entalhes etc. O movimento, o equilíbrio, o ritmo, a harmonia, os contrastes, a continuidade, a proximidade e a semelhança, são atributos da criação artística. “A integração entre aspectos sensíveis, afetivos, intuitivos, estéticos e cognitivos, assim como a promoção da interação e comunicação social, conferem caráter significativo as artes visuais”. 

Por Léia Fonseca e Lenimar Gonzalez




Tapete de história




1.  
1. Nome:
Tapete de história

2. Objetivo:
Faz com que a criança participe de uma situação de comunicação oral, potencializando a oralidade, além de promover o envolvimento com um clássico literário, potencializando desde cedo o letramento.

3. Materiais:
EVA de várias cores para o cenário, cola quente, came.

4. Modo de fazer:
É preciso ter habilidade para desenhar os personagens, ou então, conseguir os moldes em livros.

5. Como utilizar:
O professor conta a história fixando os personagens no tapete, depois de ter contado toda a história, retira todos os personagens e então narra novamente a história, porém as crianças que terão que ser os personagens e afixá-los em seu devido lugar.No momento do conto, eles terão que dizer a fala dos personagens.
  Ao término solicitar o reconto individual.

6.Relação com o eixo

O tapete de história foi construído para o meu Estágio I, seguindo atentamente aos princípios do Referencial Curricular Nacional de Educação Infantil, eixo da Linguagem, ratificando o que diz nos objetivos para que as crianças de 0 à 3 anos devam :
• participar de variadas situações de comunicação oral, para interagir e expressar desejos, necessidades e sentimentos por meio da linguagem oral, contando suas vivências;

• interessar-se pela leitura de histórias;

• familiarizar-se aos poucos com a escrita por meio da participação em situações nas quais ela se faz necessária e do contato cotidiano com livros, revistas, histórias em quadrinhos etc.

 Esse instrumento valida o que está posto no RCNEI- Linguagem, porque ele oferece a possibilidade de comunicação oral , dessa forma a criança é seduzida a interagir, se posicionar, desenvolve a questão de como e quando deve se posicionar, ou seja, pelo fato de está representando um personagem, e este personagem já tem a fala preestabelecida , precisa então está atento para se colocar na história no momento adequado.
Com essa ferramenta, a criança se ver na história, assim é  estimulada a criar, usar a imaginação, e assim  sejam despertados a conhecer outras. O tapete de história traz um envolvimento de todo o grupo, porque os alunos estão em contanto com a mesma, eles acionam a comunicação oral para  imitar o que cada personagem diz.
  
Por Marise Malta







BOLICHE DE GARRAFA PET



Objetivo:
Raciocínio lógico/motor, análise da situação levantamento de hipótese, experimentação e controle de resultados.

Eixo Contemplado: Artes, Movimento

Material Utilizado:

-6 a 10 garrafas Pets
-Para encher as garrafas: areia, água ou algum material que dê sustentação as garrafas.
-Meia para fazer a bola ou jornal
-Fita crepe
A ludicidade e a aprendizagem não podem ser consideradas como ações com objetivos distintos. O jogo e a brincadeira são por si só, uma situação de aprendizagem. As regras e imaginação favorecem á criança comportamento além dos habituais. Nos jogos ou brincadeiras a criança age como se fosse maior que a realidade, e isto, inegavelmente, contribuem de forma intensa e especial para o seu desenvolvimento (Rego, 1932, p.36).
Brincar ajuda a criança no seu desenvolvimento físico, afetivo, intelectual e social, pois, através das atividades lúdicas, a criança forma conceitos, relaciona idéias, estabelece relações lógicas, desenvolve a expressão oral e corporal, reforça habilidades sociais, reduz a agressividade, integra-se na sociedade e constrói seu próprio conhecimento. Segundo o RCNEI, Volume 1: “Por meio das brincadeiras os professores podem observar e constituir uma visão dos processos de desenvolvimento das crianças em conjunto e de cada uma em particular, registrando suas capacidades de uso das linguagens, assim como de suas capacidades sociais e dos recursos afetivos e emocionais que dispõem.”

REFERÊNCIAS:

BRASIL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Ministério da Educação e do Desporto, Secretaria de Educação Fundamental. Brasília, MEC/SEF, 1998.

Por  Leise Apolinário

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Construção de brinquedos com sucata




Analise Crítica do Brinquedo Vai-e-vem

O movimento é de grande importância para a educação, pois contribui significativamente para o desenvolvimento humano tanto na dimensão motora, como na cultural.Para representar o esse eixo de trabalho contido no pcn construímos o vaie e vem, brinquedo fácil de confeccionar e que é estimulante desde sua construção, ele é ótimo para ser utilizado na educação infantil e também nas séries iniciais, é jogado em dupla, o que faz as crianças perceberem que mesmo estando do outro de uma situação seus movimentos e atitudes podem influenciar o que acontece com o outro.


Objetivos:


- utilizar e valorizar materiais recicláveis
- promover interação
- desenvolver o equilíbrio e o reflexo nos movimentos
- tornar os movimentos ágeis e firmes
- incentivar a cooperação

MATERIAL:

1.Dois fios de varal

2. Duas garrafas de plástico, dessas descartáveis

3. Quatro carretéis de linha, sem linha

4. Tesoura sem ponta

5. Cola

6. Uma longa tira de papel crepom


MODO DE FAZER:


1. Comece cortando as garrafas, com a tesoura, separe as bocas que serão as partes úteis.

2. Junte as duas partes cortadas da boca da garrafa. Não precisa colar, é só encaixar uma na outra.

3. Enrole a faixa de papel crepom nas garrafas e cole a ponta para não soltar.

4. Passe os varais pela boca das garrafas, deixando dois fios de varal pendurados de cada lado.

5. Amarre cada ponta do fio em um carretel e o vai e vem está pronto!


Chame um amigo ou amiga para jogar com você.


Modo de brincar:


Cada jogador pega numa extremidade do briquedo e realiza movimentos consecutivos de abrir e fechar os braços de forma alternada, quando um fecha o outro abre, o objetivo é que o movimento se torne cada vez mais rápido e não seja interrompido.


Daniele Meyer, Sirleide Cândida e Tamiles Gonzaga

video

CAIXA DE BRINQUEDOS DE DAIANE E MARESSA

Nome: Transformers Eletrônico DA.MA.

Objetivo:
Possibilitar a criança a experimetação de recursos tecnológicos de alguns meios de comunicação, onde eles possam manusear e simular situações do cotidiano, desenvolvendo a estética audio-visual na criança, pois envolve um processo de produção , um meio de informação e entretenimento, um modo de construção da realidade.

Materiais utilizados para construção da caixa:

Laterais e tampa:
cola;
duplex preto;
quatro parafusos-tamanho 2;
fio de 1,50m com plug.

Fundo móvel:
tintas nas cores:
vermelho;
verde;
azul;
branco;
amarelo.

Objetos disponíveis na caixa:


Televisão com plug ( que a própria caixa se transforma, é só virá-la para a horizontal);
Teatro para : fantoche, dedoche e rosto (na horizontal, é só retirar o fundo móvel);
Antena;
DVD com cabo;
Microfone com fio;
Rádio microsystem com fio;
Controle remoto.
Obs: todos os objetos foram confeccionados artesanalmente com os seguintes materiais:
Caixas com tamanhos diversos;
Rolo de papel toalha;
Duplex preto;
Botões numerados.
Relação com o eixo do Referencial Curricular Nacional: Artes.
Como brincar:
Utilizando a imaginação, conjugada com os aspectos dos brinquedos, incrementam a condição das artes musicais, teatrais, visuais e aparelhos tecnológicos, desenvolvendo a linguagem e comunicação.